Há de se ter esperança!

Esperança. Sentimento positivo por natureza, ela nos move de inúmeras maneiras. É pela esperança de subir na carreira que ralamos na trabalho. É pela esperança de um amor verdadeiro que investimos em uma relação. É por ela que votamos no melhor candidato (ou no menos pior) e que nos emocionamos ao ver desconhecidos ressurgindo de uma mina, vivos, distribuindo sorrisos aos que, por esperança, aguardaram 69 dias para revê-los.
Por mais que tudo conspire para o fracasso, a gente reluta em se entregar ao resultado negativo. Tem sempre aquela vozinha sussurrando “ainda dá”. E pode ser que, por puro medo da decepção, disfarcemos nossa certeza incerta, chamando nosso sonho de impossível. Mas, quer saber? O simples fato de sentir esperança já é o impulso que precisamos para vencer o jogo. Se não hoje, amanhã. E, assim, acreditando no improvável, seguimos – e ressurgimos! – vivos, felizes, vitoriosos.

Romântica, sim!

Quanta gente desacreditou que os mineiros chilenos seriam de fato resgatados? Confesso que tinha dúvidas. Pois não é que, após 69 dias presos, estes trabalhadores estão, hoje, com suas famílias – que os aguardaram incansavelmente no acampamento denominado “esperança”? Romântica, iludida, patética. Chamem do que for. Eu ainda prefiro a esperança a este triste e desanimador conformismo que parece dominar certos mortais…

Anúncios